Varonis debuts trailblazing features for securing Salesforce. Learn More

Apresentamos a automação de privilégios mínimos para Microsoft 365, Google Drive e Box

Saiba Mais

Diferenças entre segurança cibernética e resiliência cibernética

2 minuto de leitura
Publicado 25 de Maio de 2022

Com o crescimento dos ataques cibernéticos ter uma estratégia de segurança cibernética pode não ser mais suficiente para evitar riscos e perda de dados, o que exige uma evolução por parte das empresas para que alcancem uma maior resiliência cibernética. 

Em um mundo cada vez mais digital, com o uso cada vez maior de dispositivos móveis e a adoção do trabalho remoto, pessoas e empresas estão enfrentando um número crescente de ameaças cada vez mais complexas. Entretanto, a forma com que a maioria das empresas procura por defesas também precisa evoluir frente aos ataques sofisticados que surgem diariamente. 

Para isso é fundamental entender a diferença entre segurança cibernética e resiliência cibernética. 

Resiliência cibernética X Segurança cibernética 

Segurança cibernética diz respeito aos métodos e processos de proteção de dados utilizados pela empresa, a identificação os locais onde as informações estão armazenadas e a implementação de tecnologias e práticas voltadas para sua proteção. 

Já a resiliência cibernética está conectada à capacidade da empresa em detectar um possível ataque, se recuperar rapidamente e causar o mínimo impacto nas operações diárias. Isso também inclui corrigir vulnerabilidades e educar funcionários sobre como manter informações críticas em segurança. 

Como construir uma estratégia integrada de resiliência e segurança cibernética 

Uma boa estratégia de segurança cibernética contribui para que a empresa evite riscos de perda de dados, mas uma estratégia de resiliência cibernética busca garantir que os negócios não sofram interrupções devido a um ataque. Ou seja, as duas estratégias são essenciais e precisam ser implementadas em conjunto. 

E o primeiro passo é realizar backups regulares. O processo é crucial para manter os dados seguros e, no caso de um ataque bem-sucedido, para manter as operações comerciais em funcionamento. 

Simular um incidente de segurança 

Entender que a empresa irá sofrer um ataque pode ajudar a tornar uma estratégia de resiliência cibernética mais assertiva. Então simular a ocorrência de um incidente de segurança, com a execução de todos os processos de resposta – que vão desde notificar autoridades e stakeholders até a recuperação do backup e volta das atividades – contribui para melhorar a resiliência cibernética e conquistar a confiança de clientes e funcionários. 

Transparência é fundamental 

Uma estratégia de resiliência e segurança cibernética só é bem-sucedida se todos dentro da empresa a apoiarem e terem conhecimento do seu papel no caso de uma tentativa ou sucesso de um ataque, e isso inclui os executivos, membros do conselho e lideranças, pessoas que, normalmente, não têm o conhecimento técnico ou estão familiarizados com jargões e métricas de segurança. 

Assim, a equipe de segurança precisa tornar a comunicação o mais simples e transparente possível para que todos dentro da empresa entendam os objetivos da implementação da estratégia. 

Melhoria contínua 

Pensar em resiliência e segurança cibernética precisa ser visto como um ato contínuo, que invista na evolução dos processos de detecção e resposta e foque na rápida recuperação no caso de incidentes. 

Da mesma forma, contar com uma ferramenta que detecte e bloqueie ameaças assim que os primeiros sinais apareçam, enviando alertas para a equipe de segurança, é essencial para minimizar possíveis riscos. 

Não existe rede 100% segura 

Como é impossível afirmar que uma rede é totalmente segura, a resiliência cibernética pressupõe que uma violação de dados ou uma falha irá ocorrer em algum momento. E, com base nessa mentalidade, a equipe de segurança pode adotar as medidas necessárias para evitar um incidente e, com isso, reduzir o tempo de inatividade e tornar a recuperação mais rápida. 

A Varonis ajuda sua empresa a tornar sua rede mais segura e a detectar ameaças automaticamente, com alertas baseados em comportamento, como o acesso incomum a informações confidenciais, tentativas de escalonamento de privilégios e outras atividades anormais. Entre em contato e solicite uma demonstração. 

What you should do now

Below are three ways we can help you begin your journey to reducing data risk at your company:

  1. Schedule a demo session with us, where we can show you around, answer your questions, and help you see if Varonis is right for you.
  2. Download our free report and learn the risks associated with SaaS data exposure.
  3. Share this blog post with someone you know who'd enjoy reading it. Share it with them via email, LinkedIn, Reddit, or Facebook.
Try Varonis free.
Get a detailed data risk report based on your company’s data.
Deploys in minutes.
Keep reading
por-trás-do-rebranding-da-varonis
Por trás do rebranding da Varonis
Descubra a estratégia por trás do rebranding da Varonis, que envolveu uma transição completa para um arquétipo de herói e a introdução do Protector 22814.
o-que-é-uma-avaliação-de-risco-de-dados-e-por-que-você-deve-fazer
O que é uma avaliação de risco de dados e por que você deve fazer
A avaliação de risco dados é essencial para saber onde os dados estão armazenados, quem os utiliza e se estão em segurança 
dspm-x-cspm:-unindo-dados-e-segurança-na-nuvem-com-a-varonis
DSPM x CSPM: unindo dados e segurança na nuvem com a Varonis
Soluções DSPM e CSPM são fundamentais para que as organizações garantam que sua infraestrutura na nuvem e dados estejam seguros 
certificação-do-modelo-de-maturação-da-segurança-cibernética-2.0-(cmmc-2.0)
Certificação do modelo de maturação da segurança cibernética 2.0 (CMMC 2.0)
O DoD está implementando o programa de Certificação do Modelo de Maturidade de Segurança Cibernética 2.0